quinta-feira, 30 de junho de 2011

O Fim da Mediocridade (Lab Pop)

O texto abaixo é sobre a Abrafin, Associação Brasileira de Festivais Independentes. O jornalista Mário Marques, da Coluna Música, do Laboratório Pop afirma que os principais parceiros da associação decidiram abandonar o "sindicato dos indies de Cuiabá", tendo como consequência o fim da Abrafin, que entre outros eventos produz o Grito Rock e o Calango. Leia a matéria na íntegra abaixo.

Este texto não é um artigo. É um aviso. Que poderia ser mais rápido, conciso. Apenas um aviso necessário. Mas é necessário também explicar o porquê desse aviso. Peço licença para estender-me. Mesmo porque tenho que ser rápido. Porque aqui se trabalha muito e não temos verba pública para fazer a coisa funcionar. Com orgulho.

Nos últimos seis anos, uma turma de produtores irrelevantes de bandas irrelevantes e de festivais ainda menos do que irrelevantes disse, como um mantra, para as bandas brasileiras iniciantes, que o caminho era tocar sem pensar em fazer sucesso, trotando em cima de uma tal "cadeia produtiva".

Alinharam-se em seminários, palestras e reuniões e, com suas postulações sindicalistas absurdas, quase gaiatas, angariaram apoio de, estes, sim, produtores de verdade: Jomardo Jomas (Mada), Paulo André (Abril Pro Rock), Aluiser Malab (Eletrônica), Gustavo Sá (Porão do Rock), fazendo-os crer que a união fazia a força.

No caso, a união se referia especificamente a buscar verbas públicas para a realização de delírios independentes. Não fossem os produtores, os irrelevantes, os piores curadores de música que já se teve notícia, até se aceitaria um movimento desses.  Não fossem as verbas direcionadas a bandas dos próprios produtores – sinceramente, quem acha Camarones Orquestra Sei Lá o Quê e MQN passíveis de subir a um palco como algo digerível?

Além de promoverem suas próprias bandas medíocres, que antes estavam no lugar certo – o ostracismo – os produtores irrelevantes fizeram emergir tudo o que de pior havia na música brasileira: os jornalistas mais despreparados, que trocaram opiniões por passagens para Cuiabá e cervejas e coxinhas; as bandas mais mulambas e inacreditáveis do mundo (acreditou-se que Black Drawing Chalks e Mini Box Lunar eram estrelas do pop); montaram palcos e mais palcos Brasil afora para abrigar artistas abaixo da crítica, que jamais teriam espaço em lugar nenhum.

Empresas  públicas como a Petrobras entraram nesse circuito medonho e bancaram algumas dessas atrocidades culturais. É sério: nossa companhia petrolífera liberou cheques para que  um sem-número de artistas sem talento plugasse guitarras desafinadas em amplificadores pancados.

Enquanto isso, Mada, Eletrônica, Abril Pro Rock e Porão do Rock assinavam embaixo, chancelavam e davam vulto a esse grupo menor de sindicalistas do rock.

Pois, nariz de cera razoavelmente encerado, chegamos ao aviso.

Mada, Abril Pro Rock, Eletrônica e Porão do Rock acabam de abandonar o sindicato dos indies de Cuiabá, a Abrafin. 



Nem se pode dizer que a Abrafin chegou ao fim, porque de fato ela nunca existiu porque não influenciou em absolutamente nada no circuito independente.  Passados seis anos, nem sequer um artista lançado ali alçou voo mais alto. Passados seis anos, não surgiu um só festival independente de vulto.

Não se pode dizer que os eventos de Cuiabá e Goiânia sejam dignos de nota.

Os grandes festivais, de produtores importantes da música brasileira - leiam sobre Paulo André, que lançou Chico Science e Cascabulho – saíram em bloco desse sindicato de música muito ruim. 

Demoraram bastante, eu diria.

Mas saíram. Do que vive a Abrafin agora? Não sabemos. Mas saberemos.

O que sabemos é que milhares de bandas acreditaram nesse eldorado do patético, dos discursos apocalípticos de que o novo mercado era um mercado que não precisava de aplausos. Faz show para cinco pessoas? Não tem problema. O que importa é sua atitude. Todo mundo acha sua banda um horror? Não se importe. Vem pra Abrafin que aqui é lugar de banda ruim.

A Petrobras e outras entidades públicas já sabem que os grandes festivais deixaram o maior polo fabricador de banda ruim do Brasil?

Façamos saber.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Rolê Julino ll 01/07 Estacionamento do RU - UFMT

"Tá no Rolê ou não tá no rolê?"


Essa é a pergunta que os estudantes da UFMT fazem.

Não fiquei fora dessa! Venha pra festa julina que vai rolar no estacionamento do RU nessa Sexta (01/07) às 21:00h.

Atrações e comidas típicas, quadrilha, bebidas e muito mais...

Eu tô no rolê! Vem você também!


PRIMEIRO CIRCUITO UNIVERSITÁRIO DE ROCK PAULEIRA



Aguardem! Vocês não perdem por esperar...

Video por @viniciusogro

Uma banda? Dois caras?

 

É isso mesmo. Billy Brown e o incrível Magro de Bigodes é uma banda de dois caras. Os protagonistas dessa façanha são Caio Schlosser (guitarra e vocal) e Lucas Brandão (baterista). No dia 18 de junho o Canelas Bar foi cenário da atuação. O estilo dos dois caras é animador, o típico selo original completado por músicas autorais.








Billy Brown e o Incrível Magro de Bigodes não impressiona apenas por ser uma banda com dois caras, mas sim pelo nome incrivelmente grande proporcional ao tamanho do talento. Como qualquer amante da música, a banda iniciou-se com a vontade de fazer um rock verdadeiro, sem o @mimimi de sempre. A idéia principal era fazer algo diferente que impressionasse a todos, e impressionou. E em 2011 nada era mais um "teenage dream" e passou a ser profissional.

A frequência das personagens criadas por Caio e Lucas, se espalhou e tornou tudo um pouco mais interessante, uma dupla de dois, uma banda de dois, que gostam de uma cerveja gelada, cabelo bacana, brincos e um rock foda.




terça-feira, 28 de junho de 2011

Tributo ao Rock || 13/07 Praça da República


Vida longa ao Rock'n'roll!!


Esse estilo originado na década de 40, que ganhou força musical, cultural e de contestação, tem o seu dia oficial de homenagem no mundo todo. Sim, o rock continua firme e forte, mesmo com os modismos que assolam nossos ouvidos vez ou outra. E Cuiabá não podia ficar de fora dessa comemoração. Mesmo não sendo uma das metrópoles roqueiras do Brasil, nossa capital ,há muitos anos, abriga uma infinidade de bandas de estilos e personalidades variadas: do metal, ao punk, do hardcore ao pop. E dia 13 de julho é dia de celebrar!


A Secretaria de Cultura do Município, com o apoio da Blecaute Produções realiza um evento gratuito na Praça da República, um dos principais 'points' dos roqueiros da capital. O evento 'Um tributo ao rock' quer trazer o rock pra perto das pessoas e mostrar todo o "poder de fogo" das bandas matogrossenses. E os shows ficarão por conta das bandas Anhangá, Tiasques, Mr. Camaro e Zagaia. Além dos shows o evento quer mostrar que o rock em Cuiabá é de longa data.

O evento fará uma homenagem a primeira banda de rock de Cuiabá, Jacildo e seus rapazes, que gravou seu primeiro disco no ano de 1965 em São Paulo.

Então, não marque nada para o seu final de tarde de quarta-feira, dia 13/07. Vista a camiseta da sua banda favorita, use aquele tenis surrado, vista aquela calça rasgada e venha para a Praça da República participar dessa celebração do rock'n'roll!

Agende-se:
Evento: Tributo ao Rock
Data: 13/07/2011 (Dia Internacional do Rock in Roll)
Portaria: Free
Horário: A partir das 16:00 horas
Local: Praça da República
Contribuiu Jomar Brittes - @jomarkarrasco

Canelas Cover Festival || 09/07 Canelas Bar

Dando continuidade a um dos maiores festivais cover do Centro Oeste, a Zortin Produções em parceria com o Canelas Bar apresentam o Canelas Cover Festival


Na atração, bandas cover de Ramones, System Of a Down e Cpm 22 se apresentarão, tocando o clássico Rock In Roll, fazendo a galera pirar.

Agende-se:
Evento: Canelas Cover Festival
Data: 09/07/2011
Portaria: R$ 7,00
Horário: 22:00
Local: Canelas Bar

Equipe Rad Rocker

O Rad Rocker foi criado por, André Brasil, e por Emerson Guerreiro em uma parceria bilateral, contudo, pelo fato da cena estar se expandindo e criando várias formas, observamos a necessidade de contar com mais pessoas para manter o blog sempre atualizado de forma a trazer a informação de qualidade e é claro, poder informar os mais variados seguimentos dentro do nosso tema: Rock'n Roll!

*Infelizmente perdemos alguns combatentes durante a guerra, inclusive os próprios fundadores já não estão estão mais conosco, ...que eles estejam em algum lugar melhor agora.

Sendo assim, apresentamos a Equipe Rad Rocker:



José Augusto: 21 Anos 
Função: Diretor Geral, Fotografia, Vídeos, Colunista e Cobertura de Eventos
Contato: 55(65)9948-0202
m_572000@yahoo.com
 

 


Suelen Diamante: 23 anos
Função: Fotografia,Colunista e Cobertura de Eventos
Contato: 55(65)9921-1761/9234-3394

fotografiaradrocker@gmail.com








Karine Queiroz: 19 anos
Função: Colunista e Cobertura de Eventos
Contato:
karinehqueiroz@gmail.com







#EQUIPERADROCKER

Rad Rocker || Conteúdo Rocker de Qualidade.

domingo, 26 de junho de 2011

Rock In Rio - É claro que eu vou!

Tá a fim de ir no Rock In Rio mas já esgotaram os ingressos? Eu tenho a solução pros seus problemas, meu chapa! Aliás, eu não, a Claro!



Sem puxar sardinha pra nenhuma operdora específica de telefonia celular (até porque eu uso a Tim, a Vivo e a Oi), mas a Claro está com uma promoção muito legal.

Adquirindo um plano pós pago a partir de R$150,00 você ganha um ingresso pra curtir um dia no RIR. No ato da aquisição você já escolhe o dia que deseja ir. Mantenha sua fatura em dia a partir de 15/08/2011 e seu ingresso será entregue no endereço cadastrado. A promoção é válida de 20/05/2011 até 30/06/2011 - ou enquanto durarem os estoques e ingressos e somente para novos clientes.

Tá esperando o quê, manolo?

Vá em alguma loja da Claro e se informe ou consulte o site http://www.claro.com.br/eclaroqueeuvou/claro-que-eu-vou/index.html

sábado, 25 de junho de 2011

Premissa || 09/07 Caverna's Bar

O Rad Rocker nasceu e está tomando forma. Está crescendo. Nasceu com apenas dois loucos, hoje seis loucos fazem o Rad Rocker. A principio com a idéia de divulgar bandas, mas, acompanhando as tendências da cena Rad Rocker Mato-grossense, produz, semanalmente entrevistas com bandas a qual reproduz através da Rad Rocker TV. Aliás, estreamos hoje com a Banda Rhox, você pode conferir a entrevista no topo do site ou clicando aqui.

Temos recebidos muitas críticas, boas e ruins, o que para nós tem se tornado um enorme aprendizado, são através das críticas que podemos melhorar, e são através dos votos de apoio que sentimos necessidade de continuar, de manter vivo esse canal. Se você tem uma idéia bacana, e acha que pode agregar valor para a cena roqueira mato-grossense e acha que nós podemos colocar em pratica, envie um e-mail para planejamentoradrocker@gmail.com. Será um prazer ouvir você. Aliás, se você tem uma crítica, um elogio, uma dúvida, ou reclamação, use esse mesmo e-mail para nos comunicar.

Através da Rad Rocker Produções e em parceria com o Cavernas Bar e com as Bandas Rhox, Imitáveis, Monocromatas e Lord Crossroad, realizaremos o Premissa, o primeiro evento Rad Rocker. 

O evento será realizado dia 09/07/2011, com as bandas supracitadas, no Cavernas Bar. 

Para quem não sabe, o Caverna's Bar é um dos bares que mais investe na cena rocker Cuiabana.
É um ambiente agradável, conta com dois ambientes, o bar, onde você pode sentar juntos aos seus amigos, jogar sinuca, conversar e desfrutar daquela cerveja exageradamente gelada, como diz o Dog: Cerveja trincando o Crânio
E também o palco, onde você irá prestigiar as bandas, ouvir um som legal. O ambiente é todo decorado a caráter, ou seja, um bar totalmente Rock in Roll.

Compareça. Prestigie. Participe. Por uma cena de qualidade. Vamos fazer juntos!

Quer ir a esse evento sem pagar nada e ainda ganhar 06 Heineken 600 Ml e 01 Camiseta da Cult Wear? Então se liga na promoção que vai rolar no Twitter e para concorrer basta dar RT na frase abaixo:
Eu vou no #Premissa na faixa dia 09/07 por conta do @Radrockercba, ganho 06 Heineken 600 Ml e 01 Camiseta da @CultWear http://kingo.to/HQ3

Agende-se:
Evento: Premissa || O primeiro evento Rad Rocker
Data: 09/07/2011
Portaria: R$ 7,00
Horário: 22:00
Local: Caverna's Bar

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Arraiá Cult Wear || 25/06 Casarão Antigo

Rááá. 

Pra você Rocker que não se liga muito em festa de São João Tradicional, para você que curte o Rock Roll bate cabeça, e para você que não sabe o que curte, acabou de encontrar: Arraía da Cult Wear:

Arraiá com Nega Fulô, Canjinjin, Pé de Moleque, Paçoca, Amendoim, Pipoca, Quentão e Rock Roll? Só a Cult Wear promove. Vamos?

Agende-se:
Evento: Arraiá Cult Wear
Data: 25/06 (Amanhã)
Portaria: FREE
Horário: 17:00 
Local: Casarão antigo

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Rock and Blues || 01/07 Cavernas Bar

Dia 01 de Julho o cavernas bar apresenta Rock and Blues, com a Banda Expresso Vinil de Cuiabá e Velhos Jovens, diretamente de Rondonopolis. Confira o flyer abaixo:

Agende-se:
Evento: Rock and Blues
Data: 01/07/2011
Portaria: R$ 7,00
Horário: 22:00 
Local: Cavernas Bar

Especial anos 70 & 80 || 25/06 Cavernas Bar

Ei, você aí, tá afim de um flash back?


Uma noite para dançar e se divertir e a entrada é FREE, e a aquela Heineken trincando o crânio.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Falando de Rockabilly

Por @ramona_tequila

Vista uma jaqueta de couro, camisa branca, calças jeans e faça um belo topete. Pronto? Agora sim, está pronto para o Rockabilly. (Ailton Santos)

Hot Rod’s, vestidos de bolinhas, jaquetas de couro e topetes. É o estilo Rockabilly, algo um tanto quanto incompreendido ou desconhecido, mas que nos últimos anos tem ganhado destaque na mídia, através de cantoras como Katy Perry e Amy Wine House. O estilo que vai além da moda, foi construído tendo a cultura 50’s como referência.
 

Rocka... o quê?

No início dos anos 50, o Rhythm and Blues já contagiava os norte-americanos. Eis que no sul dos Estados Unidos, mais precisamente em Memphis (Tennessee), o jovem de 19 anos chamado Elvis Aaron Presley, entra em estúdio e grava de forma experimental, uma versão de "That's All Right, Mama" de Arthur Crudup, incluindo elementos do country, chamado de música Hillbilly nas décadas de 40 e 50. Nasce aí o Rock’a’billy, um dos primeiros subgêneros do rock and roll, que foi influenciado também pelo western swing e o próprio rhythm and blues.

A quem diga que o Rockabilly surgiu antes de Elvis Presley, quando Bill Haley começou a misturar jump blues com o country. Seu clássico Rock around the clock de 1955, popularizou o estilo musical em todo país. Carl Perkins com a “Perkins Brothers Band” e Buddy Holly são outros representantes do gênero.

Rockabilly = Rock and Roll?

Apesar dos dois terem nascido quase na mesma época, o rockabilly trazia uma forte influência da música western. Uma marca musical desse novo estilo era tocar “batendo” nas cordas dos baixos acústicos, ao invés de puxar cada corda individualmente, essa técnica ficou conhecida como slap-back.

De maneira genérica pode se dizer, que a diferença do rock’n roll pro rockabilly, é que o primeiro é um estilo originalmente negro, que mesclava a batida do blues com elementos do boogie-woogie (o que deixava o som mais rápido e dançante). Já o rockabilly, pode ser considerado “um filho caipira do rock and roll”, onde cantores brancos incorporavam elementos da música afro-americana, ao country western.

 
Rhythm and Blues                           Hillbilly

No Brasil

Nos anos 60 o rockabilly praticamente desapareceu da mídia, mas em 1980 houve um grande revival do estilo com The Stray Cats, e após o show da banda em São Paulo o Rockabilly também chega ao Brasil. A partir daí formam-se os primeiros grupos de rockers (os Rebeldes, Ases do Rock´n Roll, Ratz, The Dogs, Rebel 50´s, AeroRockers, Ted Netuno e os Rabos-de-peixe, entre outros) que se concentravam em sua maioria, na capital paulista e na região do ABC.

Neste momento surge também o “Coke Luxe”, a primeira banda de rockabilly no Brasil, que com um sotaque paulista e um som diferente do da Jovem Guarda, Eddy Teddy e Cia decidem reviver a música e a cultura dos anos 50, tendo o Stray Cats como principal referência. Após a popularização do gênero nas terras tupiniquins, Eddy Teddy forma também o “Rockterapia” que inclui vertentes mais modernas como o Psychobilly.

Psychobilly

Voltando aos E.U.A, o termo “Psychobilly” apareceu pela primeira vez em 1976 na canção “One Piece at Time” de Johnny Cash. Logo depois foi usado por bandas como The Cramps, Screamin' Jay Hawkins e Meteors, que incorporavam elementos do punk ao rockabilly tradicional, e os definiam de “Voodoo Rockabilly” e posteriomente Psychobilly.

Esse estilo também incorpora elementos de referência a filmes de terror, e aborda temas como sexualidade e violência. Considerados tabus para época em que surgiu, são apresentados no psychobilly de forma cômica. Posteriormente o estilo se espalharia pela Europa, especialmente na Alemanha, Itália e Espanha.

Enquanto o Psychobilly no início dos anos 80, que era originalmente mistura de Rockabilly e Punk Rock (com Meteors, Sharks, Batmobile), no final dos anos 80 lembrava mais o heavy metal (com Nekromantix, Demented Are Go, Klingonz, Mad Sin). Já em 90 e 2000 o destaque do estilo volta às origens com Psychobilly norte-americano (com Reverend Horton Heat, Los Gatos Locos, Tiger Army).

Hoje no Brasil

Atualmente Curitiba pode ser considerado com a capital do rockabilly e psychobilly, pois é de lá que saíram bandas como: Catalépticos, Ovos Presley, Os Cervejas, Missionários, Krapulas e Hillbilly Rawhide. Paralelamente em São Paulo o grupo Kães Vadius surgiu optando por um lado mais selvagem da música psycho, porém outras bandas também surgiram inspiradas no rockabilly clássico de Elvis Presley e Johnny Burnette.

O nome mais falado do momento é o Crazy Legs, que surgiu em 2001 e de lá pra cá gravou cinco álbuns e um compacto em vinil, além de presença em várias coletâneas do estilo no Brasil e no exterior. Você pode conhecer mais sobre a banda em seu myspace.

Ouça:






Tributo Nando Reis no Clube de Esquina || 22/06


Vai fazer o que na véspera do feriado de Corpus Chisti? Ficar em casa por falta do que fazer não é mais uma opção.
Se você tá a fim de música boa, gente bonita e cerveja gelada, dá um pulo no Clube de Esquina!
Especial com Rodrigo Mendes, Samuel Smith e Vini Batera.

Agende-se:
Evento: Tributo Nando Reis
Data: 22/06 (Quarta-feira, véspera de feriado)
Portaria: R$7,00
Horário: 22:00h
Local: Clube de Esquina

domingo, 19 de junho de 2011

ROCK 'N' ROLL por toda a minha vida || 25/06

Dia 25/06 o Canelas Bar recebe Lord Crossroad, Filhos do Ódio e Pé Rachado e os Porra Loka.

Agende-se:
Evento: ROCK 'N' ROLL por toda a minha vida
Data: 25/06 (Próximo Sábado)
Portaria: Homem R$ 7,00 e Mulher Free
Horário: 22:00h
Local: Canelas Bar
Realização: Zortin Produções

O que rolou na Marcha da Liberdade || 18/06

A marcha da liberdade realizada na tarde deste sábado (18) em Cuiabá reuniu cerca de 200 pessoas. Muitos afirmaram que o pouco número de manifestantes foi ofuscada pela bandeira da legalização da maconha, já outros discordaram, afirmando que o problema foi a pouca divulgação e desconhecimento da verdadeira causa do evento.


Para o sociólogo e professor Manuel Motta, presente na marcha, a manifestação reuniu um conjunto de pessoas que estão compromissadas com um processo pela liberdade civil de expressão. “A questão da legalização é mais uma bandeira, um eixo central que fez pauta na lista pelas liberdades civis”, pontuou. Indagado se a bandeira da legalização da maconha poderia ter impossibilitado de agregar mais manifestantes, o sociólogo posicionou-se dizendo que a fronteira da transgressão e da criminalidade é assumida com mais clareza pela juventude. Contudo, disse que a questão da polêmica erva começou na década de 30. “Isso é um processo cultural, antes da década de 30 a maconha era comum em rituais dos indígenas e dos afro-descendentes, porém veio a indústria norte-americana do tabaco que fez com que houvesse uma criminalização muito grande. Na década de 60, houve uma profunda proibição da prática cultural”, refletiu.

A marcha, realizada em outras 39 cidades pelo Brasil, contou com a participação de muitos jovens, em sua maioria formada por estudantes e alguns intelectuais, levantando várias questões sociais, como é o caso da Homofobia, discriminação e descaso com os cadeirantes e deficientes físicos/mentais, racismo, etc. Porém, pela intensa busca pela legalização da maconha, em processo por todo o país, o movimento contou com a participação de poucos participantes dos mil que confirmaram pela rede social Facebook.

Levantando a bandeira do meio ambiente, Herman de Oliveira lamentou os poucos manifestantes presentes. “A mesma desmobilização que faz com que as pessoas não discutam os problemas de sua cidade é o mesmo que não traz essas pessoas para a praça. Vivemos em uma cidade altamente preconceituosa”, afirmou. Segundo Herman, a questão da legalização é um pequeno problema frente a tantos outros que a sociedade enfrenta. “Os gestores querem resumir os problemas sociais vinculando ao uso de drogas, mas a marcha reflete o caos social que está maqueado. Caos na educação, nos transportes, nos serviços da saúde, no processo de urbanização”, argumentou.

Entre tantos cartazes, haviam grupos em defesa da diversidade sexual, grupo de ciclistas que buscam um trânsito menos individual e mais coletivo para a Capital de Mato Grosso, cadeirantes, negros, andarilhos e moradores de rua, índios.

O 1º Batalhão da Polícia Militar estava presente com cerca de cinco viaturas para garantir o balizamento
da marcha. Para o coronel Walter, as primeiras horas da marcha já indicavam que seria tranquilo por conta da pequena quantidade de manifestantes. “Trabalhamos pelo interesse público e vamos garantir que tudo saia tranquilamente e se precisar a última medida será a interferência”, afirmou. Para o coronel Walter, houve uma tentativa de mobilização utilizando outros segmentos sociais para levantar a apologia à droga e isso fez com que reduzisse o número de manifestantes.

Antes da marcha sair da praça Alencastro em direção à 8 de abril, manifestantes afinaram o entendimento com os policiais que leram as faixas e indicaram o que poderia ser divulgado.


A polícia não interviu no manifesto, à não ser pelo fato de ter acompanhado-a durante todo o processo. A única exigência feita pelo Coronel é que não houvesse 'desenhos' ou apologia direta às drogas. Foi tudo muito organizado.

Marchinhas do tipo "Livra, livra, livra a sociedade desse Riva" e "Walter Rabelo, cadê você, eu vim aqui só pra te ver" foi o jeito animado encontrado para criticar o governo e o descaso com a sociedade cuiabana.

Conforme havia sido marcado antes, a concentração ocorreu na Praça Alencastro às 15h e exatamente às 17h subiram a Getúlio Vargas com cartazes e bandeiras de protesto finalizando o manifesto na Praça 8 de Abril.


Quem participou da Marcha, se divertiu e gostou de tal feito. A cena cuiabana está se erguendo.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Marcha da Liberdade || 18/06

 

Cuiabá, a exemplo das grandes metrópoles, se organizou e realizará a Marcha da Liberdade, evento que visa estimular a liberdade em todos os aspectos e esferas, fazendo valer a democracia, regime pela qual nosso País é regido.

Queremos ter o direito de nos expressar, de falar o que queremos e como queremos. O bordão popular diz: “estamos pagando”. Caro, aliás.

Qual é o seu motivo para marchar? O Brasil é um dos países onde mais se paga imposto no mundo, em média, você trabalha 149 dias por ano, somente para pagar impostos. Responda-me com franqueza, você vê o retorno do seu imposto? O posto de saúde no seu bairro, como é? Você se sente seguro no seu bairro, na sua cidade?

*Assista todo o vídeo, não tire conclusão precipitada!


O sistema que o Brasil adota é o de concentração de rendas, é possível visualizar claramente esse cenário, analisando o salário mínimo, o salário do professor, do policial, do médico.

Nossos professores não têm estímulos, a não ser o sonho de fazer um Brasil melhor, a não ser a garra, a dedicação. Nossos policiais se corrompem por R$ 50,00. Analisando o contexto, não podemos julgá-los, o sistema os força a se corromper. Nossos médicos fazem greves, nossos doentes morrem. Estamos indefesos. Somos indefesos.
Somos um país analfabeto, inseguro, doente. O Brasil que você vê na tevê é o Brasil de Pallocci, é o Brasil dos senadores e deputados da Capital Federal, porque somente com salários exorbitantes como o deles podem pagar.

Muita coisa mudou, é fato, mas, há tanto por fazer. Vamos fazer juntos?

Agende-se:
Evento: Marcha da Liberdade
Data: 18/06 (Próximo Sábado)
Horário: 15:00
Local: Praça Alencastro.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Resumo do final de semana em Hell City

Neste último Sábado, dia 11/06, no Cavernas Bar o lançamento do CD da Banda Incauto. Antes deles, quem fez barulho foi a galera do Anhangá, Venial e do Lopes. Muitas cabeças batendo com direito a roda punk e tudo mais. Foi foda!

Formada em 2007 por Lopes, atualmente conta com: Lopes (vocal), Ricardo Felipo (guitarra solo), Carlos Lôbo (guitarra base), Ankn (baixo) e Fabríco Roder (bateria).
Ainda não conhece o Incauto?
Tá esperando o que? Dá uma olhada: www.myspace.com/bandaincauto


Já no Canelas Bar a noite seguiu com covers de bandas, tendo como atrações Sing Out tocando CPM22 das antigas, Lexial com System Of a Down e Filhos do Ódio com Matanza e Garotos Podres.



Fuzzly, Zagaia e Convidados || 18/06 Cavernas Bar

Dia 18/06 o Cavernas Bar recebe Fuzzly, Zagaia, Branco ou Tinto e Pé Rachado e os Porra Loka.

Agende-se:
Evento: Fuzzly, Zagaia e Convidados
Data: 18/06 (Próximo Sábado)
Portaria: R$ 7,00
Horário: 22:00 
Local: Cavernas Bar

Festa Surpresa || 18/06 Canelas Bar

Esta afim de curtir um bom som, confira abaixo:

Agende-se:
Evento: Festa Surpresa
Data: 18/06 (Próximo Sábado)
Portaria: R$ 7,00 Mulher não paga nada ;)
Horário: 23:00 
Local: Canelas Bar

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Tributo a Legião Urbana || 18/06 Clube de Esquina

Uma das bandas mais populares e queridas de Cuiabá, a Banda Heróis de Brinquedo, interpretará uma das Bandas mais populares e queridas do Brasil, a Legião Urbana.
Atendendo aos pedidos, não poucos, ressalto, a Banda Heróis de Brinquedo, banda de Rock Clássico está  atualmente em uma mini turnê especial, interpretando Legião Urbana e Engenheiros do Hawaii. O Canelas Bar e o Cavernas já foram palcos dessa mini turnê, agora é a vez do Clube de Esquina recebê-los, dessa vez interpretando apenas Legião Urbana, com direito a mais de 3 horas de show, tocando os maiores sucessos da banda brasiliense.


Agende-se:
Evento: Tributo Legião Urbana
Data: 18/06 (Próximo Sábado)
Horário: 22:00 
Local: Clube de Esquina

sexta-feira, 10 de junho de 2011

CULT || A Loja Mais Underground de Cuiabá

Você está cansado de ver sempre roupas iguais nas vitrines? Então conheça a CULT, a loja mais underground de Hell City.


A CULT é um misto de moda alternativa e cultura, lá você encontra artigos com os lançamentos da música, clássicos do cinema e novas tendências. Uma loja multimarcas, com produtos diferenciados com os melhores preços. Diversos modelos de camisetas de bandas, filmes, roupas customizadas, acessórios inusitados, bijus, almofadas e muito mais!

Relógios
Acessórios
Tanto roupa quanto canções podem representar uma ideia, podem agradar e podem chocar. Qual é a sua ideia?

Para as Girls: Bolsa no estilo
Canecas
Música e Moda são ferramentas de expressão! A CULT é a moda alternativa que busca não só definir um estilo, mas também conforto e atitude!

Vista Cultura! Use informação, se expresse. Seja CULT!!

Rua Cândido Mariano, esquina com Marechal Deodoro, Nº 830, sala 08
(Casarão Antigo) - Telefone (65) 3622-4399

Twitter: @Cultwear